foto user
Antonio Ramos
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Natural/Poço Azul – São Pedro do Sul     (Leia o texto p.f
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Natural/Poço Azul – São Pedro do Sul     (Leia o texto p.f
voltar lista nav-leftnav-right

Poço Azul – São Pedro do Sul (Leia o texto p.f

fotografias > 

Paisagem Natural

2021-07-22 11:28:12
comentários (34) galardões descrição exif favorita de (39)
descrição
O Poço Azul fica perto de Sobrosa, no concelho de São Pedro do Sul.
O Poço Azul é uma obra inacabada da Natureza. É um refúgio em construção há milhares de anos e que está em permanente evolução. Oferece-nos o encanto selvagem de uma piscina natural e a frescura da água da ribeira.
A ribeira da Landeiras na ânsia de se juntar ao rio Vouga, passa por caminhos estreitos, selvagens, ultrapassa rochas graníticas, vai moldando as pedras e afunda numa pequena lagoa de dois a três metros de profundidade.
A densidade reforça o azul e a água é de tal forma cristalina que vemos sem dificuldade o fundo da lagoa.
Pouco depois, a ribeira passa por outra cascata muito pequena e esconde-se de novo entre o denso arvoredo.
Os poucos metros do percurso onde se revela aos nossos sentidos, mostra que sabe seduzir. Um dos seduzidos encontrei-o no caminho de regresso. Antecipo o testemunho de Eduardo Teixeira: “o Poço Azul é uma maravilha porque é o rio que desce a montanha".
"São penedos e mais penedos e depois tem dois socalcos, do género de poças grandes, e a água é azul. Tem recantos extraordinários e mesas para se merendar.
"Depois tem escadas em pedra, tudo seguro, com resguardos, porque aquilo é perigoso. Desci, custa um pouco mas vale a pena. Adorei.”
Eduardo Teixeira não referiu mas ficam já a saber, em particular os que querem ir tomar banho: a água é fria. Como ouvimos, para lá se chegar temos de descer uma encosta íngreme.
Os que preferem apenas ir ver têm um miradouro. Fica a alguns metros de altura e oferece uma visão de conjunto do ambiente selvagem. Também uma fotografia que ilustra o adágio: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. No mínimo, vai arredondando o granito e improvisa novas formas aos penedos.
O acesso ao Poço Azul é feito a pé. Cerca de meio quilómetro por um caminho que revela a vegetação luxuriante com pinheiros, castanheiros e também videiras. Ajuda no verão a ter sombras e a refrescar.
A vista da serra da Arada reforça a sensação de isolamento e de um ambiente natural.


exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D3300
Exposição: 10/2000
Abertura: f/7.1
ISO: 400
Distância Focal: 180/10
Software: Ver.1.00
favorita de 39
galardões
Esta foto não tem galardões
Poço Azul – São Pedro do Sul (Leia o texto p.f
O Poço Azul fica perto de Sobrosa, no concelho de São Pedro do Sul.
O Poço Azul é uma obra inacabada da Natureza. É um refúgio em construção há milhares de anos e que está em permanente evolução. Oferece-nos o encanto selvagem de uma piscina natural e a frescura da água da ribeira.
A ribeira da Landeiras na ânsia de se juntar ao rio Vouga, passa por caminhos estreitos, selvagens, ultrapassa rochas graníticas, vai moldando as pedras e afunda numa pequena lagoa de dois a três metros de profundidade.
A densidade reforça o azul e a água é de tal forma cristalina que vemos sem dificuldade o fundo da lagoa.
Pouco depois, a ribeira passa por outra cascata muito pequena e esconde-se de novo entre o denso arvoredo.
Os poucos metros do percurso onde se revela aos nossos sentidos, mostra que sabe seduzir. Um dos seduzidos encontrei-o no caminho de regresso. Antecipo o testemunho de Eduardo Teixeira: “o Poço Azul é uma maravilha porque é o rio que desce a montanha".
"São penedos e mais penedos e depois tem dois socalcos, do género de poças grandes, e a água é azul. Tem recantos extraordinários e mesas para se merendar.
"Depois tem escadas em pedra, tudo seguro, com resguardos, porque aquilo é perigoso. Desci, custa um pouco mas vale a pena. Adorei.”
Eduardo Teixeira não referiu mas ficam já a saber, em particular os que querem ir tomar banho: a água é fria. Como ouvimos, para lá se chegar temos de descer uma encosta íngreme.
Os que preferem apenas ir ver têm um miradouro. Fica a alguns metros de altura e oferece uma visão de conjunto do ambiente selvagem. Também uma fotografia que ilustra o adágio: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. No mínimo, vai arredondando o granito e improvisa novas formas aos penedos.
O acesso ao Poço Azul é feito a pé. Cerca de meio quilómetro por um caminho que revela a vegetação luxuriante com pinheiros, castanheiros e também videiras. Ajuda no verão a ter sombras e a refrescar.
A vista da serra da Arada reforça a sensação de isolamento e de um ambiente natural.


Tag’s: Porto,Matosinhos,Maia,Viana do Castelo,V.N.Gaia,Ribeira Massarelos,caminha
comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D3300
Exposição: 10/2000
Abertura: f/7.1
ISO: 400
Distância Focal: 180/10
Software: Ver.1.00

favorita de (39)