foto user
jorge pimenta
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/Gramática crepuscular para abandono e espera
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/Gramática crepuscular para abandono e espera
voltar lista nav-leftnav-right

Gramática crepuscular para abandono e espera

fotografias > 

Paisagem Urbana

2016-10-24 21:58:57
comentários (104) galardões descrição exif favorita de (153)
descrição
Fim de tarde invisível, uma talvez miragem que não distingue o lodo da terra. Um vento a agitar os sentidos sem deixar rasto enquanto nomes sem referente boiam, anónimos, na espera.
Entre ti e o tempo, quanta pele rasgada na incandescência do medo, uma vez, outra vez, e tantas vezes que já nem a linguagem ousa interpretar o gemido da casa.
Abres um livro mas as páginas não te cabem nas mãos. Acendes um cigarro à procura de afogar as sombras e a dolorosa textura dos seus abismos. Por fim levantas-te e, segurando ninhos com o olhar, procuras a luz e o lado mais mitológico da estrada, indiferente ao movimento da estrela já fora do eixo e em rotação acelerada.
Mas, porque nada existe antes de ser tocado, não desistes, segura de haver um campo com trigo maduro à espera de pernoitar no teu corpo magro.
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D610
Exposição: 1/40 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/6.3
ISO: 640
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de 153
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular
Gramática crepuscular para abandono e espera
Fim de tarde invisível, uma talvez miragem que não distingue o lodo da terra. Um vento a agitar os sentidos sem deixar rasto enquanto nomes sem referente boiam, anónimos, na espera.
Entre ti e o tempo, quanta pele rasgada na incandescência do medo, uma vez, outra vez, e tantas vezes que já nem a linguagem ousa interpretar o gemido da casa.
Abres um livro mas as páginas não te cabem nas mãos. Acendes um cigarro à procura de afogar as sombras e a dolorosa textura dos seus abismos. Por fim levantas-te e, segurando ninhos com o olhar, procuras a luz e o lado mais mitológico da estrada, indiferente ao movimento da estrela já fora do eixo e em rotação acelerada.
Mas, porque nada existe antes de ser tocado, não desistes, segura de haver um campo com trigo maduro à espera de pernoitar no teu corpo magro.
comentários
galardões
  • galardão visitas
    1000
    visitas
  • galardão favorito
    100
    favoritos
  • galardão popular
    foto
    popular

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D610
Exposição: 1/40 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/6.3
ISO: 640
Dist.Focal: 14mm
Dist.Focal (35mm): 14 mm
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)


favorita de (153)