foto user
carlos Filipe
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Animais/Free the Galgo
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Animais/Free the Galgo
voltar lista nav-leftnav-right

Free the Galgo

fotografias > 

Animais

2021-02-01 12:17:45
comentários (13) galardões descrição exif favorita de (25)
descrição
Dia 1 de Fevereiro, dia Mundial do Galgo.

Este dia é assinalado para que nós, humanos, possamos ser a voz destes animais que levam uma vida cheia de medo e crueldade. Quando são considerados inúteis, são barbaramente mortos, pendurados em árvores, lançados em poços, espancados até à morte ou abandonados…
A intervenção de diversas Organizações de causa animal já levou a que alguns países abolissem as corridas de galgos.

Fevereiro marca o fim da temporada de caça e consequente abandono de galgos na Espanha

A caça com a exploração de cães da raça galgo é uma triste tradição implantada na Espanha e lamentada por ativistas dos direitos animais de todo o mundo. Todo ano, cerca de 50.000 galgos são abandonados ou cruelmente assassinados no país. Para os caçadores, os galgos têm vida útil máxima de 3 a 4 anos, a partir desse momento o animal não é mais considerado apto para auxiliar na caça. Nesse momento, termina sua vida.

O galgo é cão magro, com patas largas e peito volumoso, o que o permite alcançar grande velocidade, podendo chegar a cerca de 60km/h. Também tem uma visão muito nítida e aguçada e pode ver claramente objetos a uma distância de 800 metros. Na Espanha, a caça é considerada um “desporto” e é movida por muito dinheiro

Galgos também são explorados em corridas e outras atividades consideradas de “elite”. Os animais só são cuidados enquanto servirem aos interesses de seus guardiões. Quando são considerados inúteis, são mortos ou abandonados a própria sorte.

Atualmente, na Espanha, os galgos são considerados a raça canina que mais sofre maus-tratos no país. Os motivos principais de abandono ou extermínio dos galgos espanhóis são: não terem sido bons caçadores durante a temporada, estarem velhos (entre dois e três anos de vida), fraturas ósseas, sintomas de cansaço ou doenças como a “erlichia” ou mesmo por não poder (ou querer) mantê-los após o fim da temporada.

Os galgos considerados mais sortudos, são os abandonados a própria sorte. Calcula-se que 60% dos cães abandonados na Espanha são galgos. Muitos deles são mortos em canis municipais ou sofrem com a fome, maus-tratos e indiferença da população.

Além do abandono, os galgos podem sofrer mortes terríveis com requintes de tortura como o método do pianista, onde as patas traseiras do animal tocam o chão e o cão sofre uma morte lenta e agonizante ou são enforcados em árvores nos chamados Bosques da Morte. A vida nas reservas de caça não menos terríveis, os animais são mantidos em jaulas minúsculas em condições insalubres e sofrem com a fome e maus-tratos.


Um método de treinamento muito comum é amarrar os cães a carros ou motos e arrastá-los por vários quilómetros, o que provoca sérias lesões e traumas. Os animais que não resistem ao treinamento são abandonados e não recebem nenhum tipo de tratamento veterinário durante toda sua vida.

As fêmeas sofrem a mesma sorte que os machos, acrescentando que algumas fêmeas escolhidas se reproduzem duas vezes ao ano. Para o fim de procriar, são isoladas em jaulas nas quais não existe espaço suficiente para poderem levantar, e muitos menos parir seus filhotes. Os filhotes são selecionados pelos Galgueiros e os que não são eleitos, são eliminados de formas violentas, apesar da pouca idade.

Parte da carta diz: ” Os galgos são severamente golpeados, queimados vivos, queimados por ácido, atirados em poços, presos em cavernas ou abandonados até morrerem por caçadores quando já não servem“. Estas mesmas palavras foram assinadas pelo presidente do Intergrupo de Bem estar animal da Eurocâmara Carl Schlyter e os eurodeputados Kartika Támara Liotard e Raul Romeva. A mesma entidade reconhece, através do artigo 13 do Tratado de Lisboa, que os animais são seres sencientes e que consequentemente devem ser respeitados pelos estados membros. Também a organização Anistia Internacional denunciou o abuso de exploração dos animais em atividades de caça. No mês de fevereiro acabou a temporada de caça e consequentemente mais episódios de tortura contra galgos serão registrados.


Os galgos que conseguem ser resgatados das ruas, de canis municipais onde terão como destino a morte ou entregues voluntariamente pelos próprios galgueiros conseguem abrigo em ONGs e com protetores, onde conseguem uma vida digna e plena.

Na Espanha existem diversas ONGs dedicadas exclusivamente ao resgate e reabilitação de galgos, como a SOS galgos, 112 galgos, Galgos de casa, Galgoleku, Baas galgo e muitas outras que lutam diariamente contra esta tragédia anual.
Em Portugal temos a katefriends.org que protege e ajuda galgos a encontrar uma familia.


Fonte: Direitos dos Animais
exif / informação técnica
Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/125
Abertura: f/4.0
ISO: 320
Distância Focal: 820/10
Software: Adobe Photoshop Lightroom Classic 9.3 (Windows)
favorita de 25
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha
Free the Galgo
Dia 1 de Fevereiro, dia Mundial do Galgo.

Este dia é assinalado para que nós, humanos, possamos ser a voz destes animais que levam uma vida cheia de medo e crueldade. Quando são considerados inúteis, são barbaramente mortos, pendurados em árvores, lançados em poços, espancados até à morte ou abandonados…
A intervenção de diversas Organizações de causa animal já levou a que alguns países abolissem as corridas de galgos.

Fevereiro marca o fim da temporada de caça e consequente abandono de galgos na Espanha

A caça com a exploração de cães da raça galgo é uma triste tradição implantada na Espanha e lamentada por ativistas dos direitos animais de todo o mundo. Todo ano, cerca de 50.000 galgos são abandonados ou cruelmente assassinados no país. Para os caçadores, os galgos têm vida útil máxima de 3 a 4 anos, a partir desse momento o animal não é mais considerado apto para auxiliar na caça. Nesse momento, termina sua vida.

O galgo é cão magro, com patas largas e peito volumoso, o que o permite alcançar grande velocidade, podendo chegar a cerca de 60km/h. Também tem uma visão muito nítida e aguçada e pode ver claramente objetos a uma distância de 800 metros. Na Espanha, a caça é considerada um “desporto” e é movida por muito dinheiro

Galgos também são explorados em corridas e outras atividades consideradas de “elite”. Os animais só são cuidados enquanto servirem aos interesses de seus guardiões. Quando são considerados inúteis, são mortos ou abandonados a própria sorte.

Atualmente, na Espanha, os galgos são considerados a raça canina que mais sofre maus-tratos no país. Os motivos principais de abandono ou extermínio dos galgos espanhóis são: não terem sido bons caçadores durante a temporada, estarem velhos (entre dois e três anos de vida), fraturas ósseas, sintomas de cansaço ou doenças como a “erlichia” ou mesmo por não poder (ou querer) mantê-los após o fim da temporada.

Os galgos considerados mais sortudos, são os abandonados a própria sorte. Calcula-se que 60% dos cães abandonados na Espanha são galgos. Muitos deles são mortos em canis municipais ou sofrem com a fome, maus-tratos e indiferença da população.

Além do abandono, os galgos podem sofrer mortes terríveis com requintes de tortura como o método do pianista, onde as patas traseiras do animal tocam o chão e o cão sofre uma morte lenta e agonizante ou são enforcados em árvores nos chamados Bosques da Morte. A vida nas reservas de caça não menos terríveis, os animais são mantidos em jaulas minúsculas em condições insalubres e sofrem com a fome e maus-tratos.


Um método de treinamento muito comum é amarrar os cães a carros ou motos e arrastá-los por vários quilómetros, o que provoca sérias lesões e traumas. Os animais que não resistem ao treinamento são abandonados e não recebem nenhum tipo de tratamento veterinário durante toda sua vida.

As fêmeas sofrem a mesma sorte que os machos, acrescentando que algumas fêmeas escolhidas se reproduzem duas vezes ao ano. Para o fim de procriar, são isoladas em jaulas nas quais não existe espaço suficiente para poderem levantar, e muitos menos parir seus filhotes. Os filhotes são selecionados pelos Galgueiros e os que não são eleitos, são eliminados de formas violentas, apesar da pouca idade.

Parte da carta diz: ” Os galgos são severamente golpeados, queimados vivos, queimados por ácido, atirados em poços, presos em cavernas ou abandonados até morrerem por caçadores quando já não servem“. Estas mesmas palavras foram assinadas pelo presidente do Intergrupo de Bem estar animal da Eurocâmara Carl Schlyter e os eurodeputados Kartika Támara Liotard e Raul Romeva. A mesma entidade reconhece, através do artigo 13 do Tratado de Lisboa, que os animais são seres sencientes e que consequentemente devem ser respeitados pelos estados membros. Também a organização Anistia Internacional denunciou o abuso de exploração dos animais em atividades de caça. No mês de fevereiro acabou a temporada de caça e consequentemente mais episódios de tortura contra galgos serão registrados.


Os galgos que conseguem ser resgatados das ruas, de canis municipais onde terão como destino a morte ou entregues voluntariamente pelos próprios galgueiros conseguem abrigo em ONGs e com protetores, onde conseguem uma vida digna e plena.

Na Espanha existem diversas ONGs dedicadas exclusivamente ao resgate e reabilitação de galgos, como a SOS galgos, 112 galgos, Galgos de casa, Galgoleku, Baas galgo e muitas outras que lutam diariamente contra esta tragédia anual.
Em Portugal temos a katefriends.org que protege e ajuda galgos a encontrar uma familia.


Fonte: Direitos dos Animais
Tag’s: galgo,dog,animal,rescue,animais
comentários
galardões
  • galardão a nossa escolha
    a nossa
    escolha

Máquina: NIKON CORPORATION
Modelo: NIKON D750
Exposição: 1/125
Abertura: f/4.0
ISO: 320
Distância Focal: 820/10
Software: Adobe Photoshop Lightroom Classic 9.3 (Windows)

favorita de (25)