foto user
João Sezinando
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Fotografia de rua/E tenho dito!
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Fotografia de rua/E tenho dito!
voltar lista nav-leftnav-right
descrição
- E tenho dito! – exclamou terminando com um gesto expressivo.
Depois, acalmou os gestos, concentrou-se na mini que tinha em cima da mesa e assumiu uma atitude meditativa... Bebeu mais um pouco, olhou em volta, recostou-se na cadeira e mesmo em silêncio recomeçou a esbracejar de modo teatral.
Alguns metros mais à frente, um homem parou a olhar para ele e disse-lhe em voz alta, quase a gritar:
- Eh Liluá, estás cada vez mais maluco! – rematou a declaração com uma sonora gargalhada.

O homem sentado na mesa fez uma pausa em todo o seu dramatismo cénico. Olhando no sentido de onde tinham vindo as palavras, ripostou:
- O que é um maluco, um louco?
O sorriso na face do autor do comentário começou a desfazer-se perante esta reação. Liluá ganhou um ascendente sobre o seu oponente, e aproveitando o facto retomou:
- Tu que me chamaste de maluco, louco, desajustado, deves achar-te normal! Diz-me o que é ser normal e o que é ser louco?
O sorriso desapareceu por completo do rosto do autor do comentário inicial, os transeuntes começaram a atrasar o passo ou parar mesmo, para verem o que se passava.
- Quem determina o que é a loucura? Como é que alguém que nunca foi louco, pode dizer que é normal? Já foste louco? – Questionou Liluá.
O causador de toda esta divagação tentou afastar-se sorrateiramente, mas o “louco” arruinou-lhe os planos:
- Então, vais-me virar costas e fugir? É isso que os normais fazem? Quando confrontados metem o rabo entre as pernas e fogem? Sabes que é falta de respeito virar as costas para que está a falar connosco? Já que falo de respeito, sabes que em algumas civilizações antigas oa malucos eram muito respeitados? Eram considerados como aqueles que estavam mais próximo dos deuses...

Já ninguém se ria nas mesas próximas, e o homem que tudo tinha iniciado afastava-se agora num passo cada vez mais rápido. Só que o Liluá ainda lhe endereçou uma última farpa:
- Sabes o que vocês dizem? Vocês, ditos normais, que governam os destinos deste mundo, dizem que o mundo está maluco… se o mundo está maluco, não achas que talvez seja melhor mudares, ou mudares?

Voltou a centrar-se na mini que tinha à frente e sussurrou de forma quase inaudível: - Agora sim. Tenho dito!
exif / informação técnica
Máquina: LEICA CAMERA AG
Modelo: C-Lux
Exposição: 1/1600
Abertura: f/6.4
ISO: 200
Distância Focal: 873/10
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)
favorita de 22
galardões
Esta foto não tem galardões
E tenho dito!
- E tenho dito! – exclamou terminando com um gesto expressivo.
Depois, acalmou os gestos, concentrou-se na mini que tinha em cima da mesa e assumiu uma atitude meditativa... Bebeu mais um pouco, olhou em volta, recostou-se na cadeira e mesmo em silêncio recomeçou a esbracejar de modo teatral.
Alguns metros mais à frente, um homem parou a olhar para ele e disse-lhe em voz alta, quase a gritar:
- Eh Liluá, estás cada vez mais maluco! – rematou a declaração com uma sonora gargalhada.

O homem sentado na mesa fez uma pausa em todo o seu dramatismo cénico. Olhando no sentido de onde tinham vindo as palavras, ripostou:
- O que é um maluco, um louco?
O sorriso na face do autor do comentário começou a desfazer-se perante esta reação. Liluá ganhou um ascendente sobre o seu oponente, e aproveitando o facto retomou:
- Tu que me chamaste de maluco, louco, desajustado, deves achar-te normal! Diz-me o que é ser normal e o que é ser louco?
O sorriso desapareceu por completo do rosto do autor do comentário inicial, os transeuntes começaram a atrasar o passo ou parar mesmo, para verem o que se passava.
- Quem determina o que é a loucura? Como é que alguém que nunca foi louco, pode dizer que é normal? Já foste louco? – Questionou Liluá.
O causador de toda esta divagação tentou afastar-se sorrateiramente, mas o “louco” arruinou-lhe os planos:
- Então, vais-me virar costas e fugir? É isso que os normais fazem? Quando confrontados metem o rabo entre as pernas e fogem? Sabes que é falta de respeito virar as costas para que está a falar connosco? Já que falo de respeito, sabes que em algumas civilizações antigas oa malucos eram muito respeitados? Eram considerados como aqueles que estavam mais próximo dos deuses...

Já ninguém se ria nas mesas próximas, e o homem que tudo tinha iniciado afastava-se agora num passo cada vez mais rápido. Só que o Liluá ainda lhe endereçou uma última farpa:
- Sabes o que vocês dizem? Vocês, ditos normais, que governam os destinos deste mundo, dizem que o mundo está maluco… se o mundo está maluco, não achas que talvez seja melhor mudares, ou mudares?

Voltou a centrar-se na mini que tinha à frente e sussurrou de forma quase inaudível: - Agora sim. Tenho dito!
Tag’s: Retrato,Fotografia de rua,P&B,Maluco
comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Máquina: LEICA CAMERA AG
Modelo: C-Lux
Exposição: 1/1600
Abertura: f/6.4
ISO: 200
Distância Focal: 873/10
Software: Adobe Photoshop CS6 (Windows)

favorita de (22)