foto user
M. Rosário António
nav-left nav-right
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Paisagem Urbana/"Chove. Há Silêncio"
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Paisagem Urbana/"Chove. Há Silêncio"
voltar lista nav-leftnav-right

"Chove. Há Silêncio"

fotografias > 

Paisagem Urbana

2010-08-19 23:38:44
comentários (26) galardões descrição exif favorita de (20)
descrição


Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa

(Londres, Agosto 2010)


exif / informação técnica
Máquina: OLYMPUS IMAGING CORP.
Modelo: u7010,S7010
Exposição: 10/2000
Abertura: f/8.5
ISO: 100
MeteringMode: Pattern
Flash: Não
Dist.Focal: 5 mm

favorita de 20
galardões
Esta foto não tem galardões
"Chove. Há Silêncio"


Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Não faz ruído senão com sossego.
Chove. O céu dorme. Quando a alma é viúva
Do que não sabe, o sentimento é cego.
Chove. Meu ser (quem sou) renego...

Tão calma é a chuva que se solta no ar
(Nem parece de nuvens) que parece
Que não é chuva, mas um sussurrar
Que de si mesmo, ao sussurrar, se esquece.
Chove. Nada apetece...

Não paira vento, não há céu que eu sinta.
Chove longínqua e indistintamente,
Como uma coisa certa que nos minta,
Como um grande desejo que nos mente.
Chove. Nada em mim sente...

Fernando Pessoa

(Londres, Agosto 2010)


comentários
galardões
Esta foto não tem galardões

Máquina: OLYMPUS IMAGING CORP.
Modelo: u7010,S7010
Exposição: 10/2000
Abertura: f/8.5
ISO: 100
MeteringMode: Pattern
Flash: Não
Dist.Focal: 5 mm