foto user
ana batista constantino
menu-mobile
Olhares
menu-mobile-right
Carregar
Gentes e Locais/Benção do Gado  ... (ler descrição)
fullscreen voltar lista nav-leftnav-right
Gentes e Locais/Benção do Gado  ... (ler descrição)
voltar lista nav-leftnav-right

Benção do Gado ... (ler descrição)

fotografias > 

Gentes e Locais

2014-07-04 19:14:37
comentários (63) galardões descrição exif favorita de (66)
descrição
A Lenda do Senhor Jesus dos Lavradores

Numa manhã de Maio dos alvores da idade média, não se sabe bem já quando, um grupo de Cingeleiros destas terras de Riachos, andava, como tantos outros, na lavoura dos seus hastins dos campos do Espargal.

Auxiliavam-nos nas suas duras tarefas juntas de bois de trabalho que, pacientemente, puxavam os arados (feitos de madeira de azinho protegida, nas pontas, por bicos de ferro).

A certa altura e porque os bois não conseguiam avançar, fincando mesmo, com o esforço, os joelhos no chão, os lavradores repararam que o bico do arado estava preso numa grande pedra que começava a sobressair do ventre da terra.

Escavando, então, descobriram debaixo da laje uma imagem, escura e triste, de um Senhor Jesus Crucificado, que, com a surpresa, os fez cair de joelhos como se de um milagre estivesse acontecendo. Limparam-lhe, depois, a terra húmida dos cabelos (quase humanos), de entre os dentes da boca entreaberta, dos pés e das mãos. Ajeitaram-lhe os pregos da cruz e, depois, levaram-na bem para o centro da povoação, para o Largo, aonde, sabido do milagroso achado, depressa acorreram, vindos dos seus casais, os outros lavradores-cingeleiros de Riachos.

Carregada a imagem num carro puxado por uma junta de bois (precisamente aquela que a encontrou), enfeitaram-no de flores campestres e de ervas aromáticas e lá foram a cantar entregá-la (ainda que contrariadamente... ) à Igreja da sede da freguesia, em Santiago, perto do Paço, em Torres Novas.

A partir daí, todos os anos, em plena Primavera, os cingeleiros de Riachos fizeram nascer a sua "Festa", a Festa da Bênção do Gado, desfilando alegremente com os seus animais, enfeitados e floridos, numa recordação da memória do seu achado.

E sempre, até aos dias de hoje, os riachenses relembram nesses dias o que há de mais profundo na sua memória: o encanto de uma lenda que acima de tudo representa a mais profunda ligação à Natureza, única fonte de riqueza da sua vida e do seu saber ancestral.

Versão do Museu Agrícola de Riachos
— em Riachos
exif / informação técnica
Máquina: FUJIFILM
Modelo: FinePix S1000fd
Exposição: 1/45 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/2.8
ISO: 200
Dist.Focal: 5.9mm
Dist.Focal (35mm):
Software: PhotoScape

favorita de 66
galardões
  • galardão popular
    foto
    popular
Benção do Gado ... (ler descrição)
A Lenda do Senhor Jesus dos Lavradores

Numa manhã de Maio dos alvores da idade média, não se sabe bem já quando, um grupo de Cingeleiros destas terras de Riachos, andava, como tantos outros, na lavoura dos seus hastins dos campos do Espargal.

Auxiliavam-nos nas suas duras tarefas juntas de bois de trabalho que, pacientemente, puxavam os arados (feitos de madeira de azinho protegida, nas pontas, por bicos de ferro).

A certa altura e porque os bois não conseguiam avançar, fincando mesmo, com o esforço, os joelhos no chão, os lavradores repararam que o bico do arado estava preso numa grande pedra que começava a sobressair do ventre da terra.

Escavando, então, descobriram debaixo da laje uma imagem, escura e triste, de um Senhor Jesus Crucificado, que, com a surpresa, os fez cair de joelhos como se de um milagre estivesse acontecendo. Limparam-lhe, depois, a terra húmida dos cabelos (quase humanos), de entre os dentes da boca entreaberta, dos pés e das mãos. Ajeitaram-lhe os pregos da cruz e, depois, levaram-na bem para o centro da povoação, para o Largo, aonde, sabido do milagroso achado, depressa acorreram, vindos dos seus casais, os outros lavradores-cingeleiros de Riachos.

Carregada a imagem num carro puxado por uma junta de bois (precisamente aquela que a encontrou), enfeitaram-no de flores campestres e de ervas aromáticas e lá foram a cantar entregá-la (ainda que contrariadamente... ) à Igreja da sede da freguesia, em Santiago, perto do Paço, em Torres Novas.

A partir daí, todos os anos, em plena Primavera, os cingeleiros de Riachos fizeram nascer a sua "Festa", a Festa da Bênção do Gado, desfilando alegremente com os seus animais, enfeitados e floridos, numa recordação da memória do seu achado.

E sempre, até aos dias de hoje, os riachenses relembram nesses dias o que há de mais profundo na sua memória: o encanto de uma lenda que acima de tudo representa a mais profunda ligação à Natureza, única fonte de riqueza da sua vida e do seu saber ancestral.

Versão do Museu Agrícola de Riachos
— em Riachos
Tag’s: Tradições,lugares,gentes,procissões
comentários
Máquina: FUJIFILM
Modelo: FinePix S1000fd
Exposição: 1/45 sec
Exposição (EV+/-): 0 step
Abertura: f/2.8
ISO: 200
Dist.Focal: 5.9mm
Dist.Focal (35mm):
Software: PhotoScape